sábado, 18 de abril de 2015

BABOSA-(Aloe vera)

Os principais benefícios da babosa

Propriedades da Aloe barbadensis Miller (Aloe vera): A babosa é um dos mais completos alimentos, contendo mais de 150 substâncias ativas. A planta adulta leva cerca de quatro anos para se formar e necessita de condições climáticas extremas para apresentar gel de excelente qualidade, como, por exemplo, regiões de pouca chuva. O gel é utilizado para o consumo, enquanto a parte espinhosa e externa das folhas é usada como adubo orgânico, sem adições de agrotóxicos para não comprometer a qualidade do gel.
Ação restauradora e rejuvenescedora sobre a pele: o gel da babosa é rico em substâncias raras e enzimas com alto poder de combater radicais livres que se acumulam em nosso corpo e em nossa pele. Eles causam envelhecimento e uma série de doenças. A capacidade do gel de babosa varrer estes radicais livres nocivos do nosso organismo desacelera o envelhecimento e recupera danos à pele causados por exposição solar. Ela é rica em prolina que compõe o nosso colágeno, devolvendo maciez e tonicidade à pele. As vitaminas presentes na babosa estimulam aumento da oxigenação e da eliminação das toxinas. A ingestão diária de gel de babosa e o uso de produtos cosméticos de babosa de forma regular revertem os efeitos nocivos à saúde causados pelo envelhecimento, poluição ou situações de enfermidades crônicas.
Ação antibiótica: os glicosídeos antraquinônicos da Aloe vera (aloína e ácido aloético) fornecem uma capacidade antibiótica natural extraordinária a esta planta. Acemannan, aloeemodina e bradicinase da aloe se combinam nos tecidos para exercer atividade germicida. Eles também favorecem uma resposta imune mais efetiva. A lignina, ácido cinâmico e ácido crisofânico agem em conjunto para também desempenhar ação bactericida.
Ação analgésica e anti-inflamatória: fornecida pela ação de antracenos e antraquinonas, além da enzima bradicinase. Esta enzima estimula a ação dos macrófagos, células de defesa orgânica, e bloqueia a ação da bradicinina responsável pela dor e edema de traumas e inflamações. Além disto, possui esteróides de plantas (fitoesteróides) denominados lupeol, betasitosterol e campesterol. Eles bloqueiam a ação das prostaglandinas tipo 2 nos tecidos combatendo as inflamações. Também age diminuindo a ação das cininas e interleucinas envolvidas na resposta inflamatória, bloqueando a fabricação de colesterol pelos linfócitos em situações de estresse. Os fitoesteróides, ao contrário dos esteróides sintéticos, não apresentam ação deletéria ao organismo quando ingeridos de forma adequada. A ação analgésica e anti-inflamatória da aloe também é dada pelos salicilatos naturais da planta.
Ação depurativa, laxativa, diurética e estimulante da secreção biliar: o ácido crisofânico oferece uma propriedade depurativa, principalmente com efeito danoso contra fungos e bactérias intestinais.
Ação antioxidante: A produção de radicais livres no organismo humano é contínua, devido ao estresse emocional constante da vida diária. Toda sorte de doença crônico-degenerativa, tabagismo, alcoolismo e uso crônico de drogas lícitas (álcool e fumo) e ilícitas, também produzem estes radicais livres tão nocivos. Por outro lado, determinados tratamentos para doenças crônicas podem aumentar a produção destes radicais prejudiciais à saúde. O mesmo acontece após exercícios físicos, quando geramos muitos radicais livres, principalmente se forem muito extenuantes.  A presença de cobre, magnésio e todas as vitaminas conhecidas no gel de Aloe vera bloqueia a produção, os efeitos e a circulação destes radicais no nosso organismo. A vitamina B12, por exemplo, responsável pelo nosso bom desempenho intelectual e restauração de funções nervosas, está bem presente no gel da babosa. Ácido fólico e outras vitaminas do complexo B também estão presentes nesta fantástica planta. Ainda contém vitamina E e cisteína, excelentes combatentes dos radicais livres que afetam nossa saúde. Esta ação antioxidante é uma das principais responsáveis pela prevenção de aparecimento de tumores e manutenção da atividade do sistema imunológico, com proteção do nosso material genético (DNA) e induzindo a morte em células (apoptose) alteradas que se formam em nosso organismo.
Ação antisséptica: As saponinas, o ácido cinâmico e salicilatos conferem à Aloe vera uma ação antisséptica.
Ação antiviral: Acemannan tem efeito antiviral, regulando as defesas imunológicas do organismo, através do aumento de células denominadas macrófagos e linfócitos T.
Ação cicatrizante: Auxiliada pela ação anti-inflamatória do gel, a babosa ainda possui um efeito regenerador sobre os tecidos. Este efeito é dado pelo glucomannan que auxilia no reparo dos tecidos e células expostos a danos físicos, químicos e ambientais. Estimula a fabricação de células reparadoras da ferida e produz colágeno para reparar as lesões. A giberelina, ácido indolacético e auxina da babosa são fitohormônios que estimulam a reprodução celular.
Ação sobre o aparelho digestivo: Erros alimentares sucessivos levam a danos digestivos que afetam a função intestinal. Atualmente, o intestino delgado é considerado o maior órgão de defesa do nosso organismo. O acúmulo de substâncias nocivas aderidas à parede do intestino impede que suas funções como órgão digestório e de defesa orgânica sejam desempenhadas adequadamente. A digestão é feita de modo inadequado e a mucosa intestinal é danificada de uma maneira tal que ela deixa passar substâncias tóxicas, ou proteínas que deveriam estar digeridas, além de favorecer a migração de microrganismos prejudiciais à saúde pela parede intestinal. Estes elementos acabam por cair na circulação sanguínea. O sistema imunológico nesta situação fica extremamente ativo, tentando anular os efeitos nocivos causados pelo dano da parede intestinal. As consequências são alergias, hipoglicemia, distúrbio digestivo, produção excessiva de muco, flatulência (gases), depressão, fadiga e edemas. Glucomannan, acemannan e antraquinonas da babosa revertem este efeito, neutralizando o efeito de enzimas tóxicas aos tecidos, melhorando a função das células beta pancreáticas, o metabolismo e a digestibilidade.
Ação digestiva: A babosa tem várias enzimas que facilitam a digestão. Além disto, há diversas substâncias na babosa que são altamente nutritivas. Mais de dez minerais podem ser mencionados que desempenham vários papéis no metabolismo celular, exibindo propriedades que vão desde a melhora da constituição óssea e de cartilagens (devido ao cálcio), função cardíaca e celular (devido ao magnésio), intervenção do cromo no metabolismo e o poder antioxidante do cobre. Apresenta vitaminas A, C, E e do complexo B. Também apresenta vários mono e polissacarídeos, além de várias enzimas e proteínas.
Ação dental: gel dental de babosa forma uma camada protetora do esmalte, mucosa oral e é cicatrizante. 
Ação de combate ao acúmulo de gorduras e de favorecimento ao ganho de massa muscular e óssea: A lipase da babosa está envolvida na digestão das gorduras. A lipase melhora as funções do fígado e vesícula biliar. A Aloe vera diminui a resposta inflamatória da obesidade e diminui a resistência à insulina. O aminoácido metionina reduz a gordura do fígado (esteatose ou infiltração gordurosa hepática) e da rede cardiocirculatória. Magnésio, cálcio e fósforo são importantes para a manutenção óssea. A creatinafosfocinase fornece suplemento energético muscular, mantendo a função e tônus muscular.

O Consumo Regular de Babosa Pode Evitar Ganho de Peso

obeso e dietaA pessoa obesa vive em um estado inflamatório crônico que acaba por influenciar todo o metabolismo. A grande massa de gordura localizada acaba por fabricar elementos de resposta inflamatória que prejudicam o funcionamento do organismo. Daí, o surgimento de doenças como diabetes,câncer e outras.
Erros alimentares são a principal causa do aumento de células de gordura, tanto em número quanto em tamanho. Os mecanismos de inibição da formação de células de gordura têm sido estudados. O controle do estado inflamatório do obeso tem sido um desafio para os cientistas.
Aloe vera (babosa) adicionada à dieta parece diminuir a formação de células de gordura. Isto foi observado em um estudo científico, onde a babosa ativou uma via do metabolismo que suprime a resposta inflamatória da obesidade em ratos obesos.  Desta forma as enzimas fabricadas em músculos que dariam início à formação de células de gordura e citocinas que iniciam a resposta inflamatória são bloqueadas. Consequentemente a inflamação que acompanha a formação excessiva de células de gordura e a própria formação destas células gordurosas foram inibidas pela ingestão de Aloe vera (Para ver o artigo clique aqui).
Esta observação científica permite afirmar que a babosa pode ser utilizada na dieta do obeso como auxiliar de controle de peso, além de medidas dietéticas e rotinas de atividade física. Além de diminuir a resposta inflamatória da síndrome metabólica do obeso, ela também impede a formação de células de gordura, desde que as outras medidas sejam adotadas.
Aumente seus conhecimentos e leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário