domingo, 26 de julho de 2015

COCADA MOLE DA VÓ IZABEL

fonte - POR CASA E COMIDA

COCADA MOLE DA VÓ IZABEL

Receita de Izabel Gimenes e Beth Branco



Sobremesa: cocada mole da vó Izabel (Foto: Rogério Voltan)Sobremesa: cocada mole da vó Izabel (Foto: Rogério Voltan)
Rendimento 1 kg
Tempo de preparo 1h

Ingredientes
400 g de coco fresco ralado grosso;
600 g de açúcar refinado;
1 litro de água;
15 gemas peneiradas;.
2 cravos-da-índia

Modo de fazer
1 Coloque a água e o açúcar numa panela e deixe ferver até atingir o ponto de fio.
2 Fora do fogo, acrescente as gemas aos poucos, mexendo vagorosamente, até que as gemas atinjam a mesma temperatura da calda. Não pare de mexer para não coagular as gemas.
3 Leve a panela novamente ao fogo médio e junte o coco ralado e os cravos.
4 Deixe cozinhar mais um pouco, até que o coco fique bem envolvido com a calda. Apague o fogo e deixe

MILK-SHAKE COM BRIGADEIRO

fonte11/11/2014 -  - FOTO CASA E COMIDA

MILK-SHAKE COM BRIGADEIRO

Receita de Renata Fernandes, da Folie

Milk-shake com brigadeiro (Foto: Divulgação)
Rendimento 1 copo (330 ml)
Tempo de preparo 20 min
Ingredientes
Milk-shake

250 ml de sorvete a gosto;
80 ml de leite.
Brigadeiro
1 lata de leite condensado;
1 lata (mesma medida) de leite;
1 colher (sopa) de manteiga sem sal;
4 colheres (sopa) de chocolate em pó.
Modo de fazer
1 Leve todos os ingredientes do brigadeiro ao fogo médio, mexendo até dar ponto – desligue assim que engrossar.
2 Em um copo de 330 ml, coloque três dedos de brigadeiro (40 g) no fundo e puxe com uma colher para as laterais. Reserve.
3 Faça o milk-shake batendo o sorvete com o leite no liquidificador por 10 segundos.
Complete o copo com o milk-shake e sirva com uma colher de cabo longo.

PIGPIE DE FRANGO

fonte-17/11/2014 -- POR CASA E COMIDA

PIGPIE DE FRANGO

Receita de Milena Addad e Magloni Franco, do Buffet Addad Franco

Pigpie de frango (Foto: Elisa Correa/ Editora Globo)
Rendimento 30 unidades
Tempo de preparo 1 h 25 min
Ingredientes
Massa

3 xícaras (chá) de farinha de trigo;
1 colher (chá) de sal;
1 xícara (chá) de manteiga em temperatura ambiente;
1 colher (sopa) de banha;
1 gema batida com1 colher (sopa) de óleo, para pincelar;
sementes de coentro e de cominho para a decoração.

Recheio
1 cebola ralada;
1/2 xícara (chá) de óleo;
3 dentes de alho amassados;
500 g de peito de frango desfiado;
2 tomates sem pele, picados;
1 folha de louro;
1/2 xícara (chá) de salsinha picada;
1/2 xícara de requeijão.
Modo de fazer
Faça a massa. Numa vasilha, misture a farinha e o sal. Acrescente a manteiga e a banha. Com um garfo, faça uma farofa.
2 Junte 1/2 xícara de chá de água e misture rapidamente. Adicione mais um pouco de água até formar uma bola de massa firme. Embrulhe em plástico e leve à geladeira por, no mínimo, 1 hora.
3 Faça o recheio. Em uma frigideira, refogue a cebola no óleo até murchar. Acrescente o alho, frango, tomate e louro. Cozinhe por 10 minutos ou até o líquido secar. Retire o louro, junte a salsinha e o requeijão e misture bem.
4 Abra a massa em superfície polvilhada com farinha. Forre forminhas de alumínio com a massa e adicione o recheio. Tampe com massa e use mais massa para fazer as orelhas e o focinho dos porquinhos. Pincele a gema batida com óleo e leve ao forno preaquecido a 200ºC por 20 minutos.
5 Use grãos de coentro para fazer os olhos e sementes de cominho para finalizar o focinho dos porquinhos.

Pesquisadores testam relação entre alecrim e boa memória

BBC
26/07/2015 15h48 - Atualizado em 26/07/2015 15h48


Cientistas britânicos tentam descobrir se erva pode realmente ajudar função do cérebro.

Além do óleo essencial, alecrim também é uma das ervas mais populares para temperar alimentos (Foto: BBC)Além do óleo essencial, alecrim também é uma das ervas mais populares para temperar alimentos (Foto: BBC)
Na medicina popular o alecrim é associado há séculos com boa memória. O médico Chris Van Tulleken investigou para a BBC qual pode ser a base científica dessa crença.
Em termos científicos existem diferentes tipos de memória.
Existe a memória passada: o que você aprendeu na escola, por exemplo. Existe a memória presente, usada minuto a minuto. E também a memória futura, ou "lembrar de lembrar".
A memória futura é a mais completa para a maioria de nós. Quando falha, coisas como esquecer de tomar um remédio ou do presente de aniversário do cônjuge acontecem.
Existem estratégias para melhorar a memória passada, porém é mais complicado aprimorar a memória futura - e muitos adorariam ter uma receita.
A medicina, por sua vez, não oferece muitas alternativas. Há remédios que tratam a perda da memória associada à demência, mas não são totalmente eficazes.
Então, quando viajei para Newcastle, no norte da Inglaterra, para falar com o professor Mark Moss na Universidade de Northumbria, estava cético. A equipe de Moss está fazendo experiências para testar se o óleo essencial de alecrim pode ajudar a memória futura.
O alecrim está ligado à memória há centenas de anos.
A personagem Ofélia, na peça Hamlet, de Shakespeare, mostra o alecrim ao irmão, Laertes, e diz que é "para lembrança". Mas, na peça, a personagem fica insana e morre pouco depois dessa cena.
O alecrim é usado em aromaterapia por razões parecidas, mas isso também não pode ser considerado como forte prova científica.
A partir de meu trabalho em comunidades remotas no mundo todo, aprendi que tradições antigas de cura têm muito para nos ensinar e, historicamente, já forneceram muitos remédios úteis.
Mas eu acreditava que aromaterapia estivesse em outra categoria, uma terapia com pouco efeito. Usar cheiros bons para fazer as pessoas se sentirem bem. Ou era isso que eu pensava.
A experiência
Eis como a equipe de pesquisadores da Universidade Northumbria trabalhou: foram recrutados 60 voluntários mais velhos para testar os efeitos não apenas do óleo de alecrim, mas do de lavanda também.
Eles então situaram os voluntários em salas impregnadas com óleo essencial de alecrim, de lavanda ou sem aroma nenhum.
Os participantes recebiam a informação de que estavam testando uma bebida com vitaminas. Qualquer comentário sobre os aromas era descartado e considerado irrelevante, os pesquisadores diziam que o aroma tinha sido "deixado pelo grupo que usou a sala antes".
Os voluntários, eu entre eles, fizemos um teste de memória.
No começo, objetos eram escondidos pela sala em lugares que você teria que se lembrar no final do teste. Então, você fazia uma série de quebra-cabeças com palavras, divertidos, enquanto os pedidos dos responsáveis pelos testes de memória ficavam cada vez mais complicados. No meu caso, duas estudantes, Kamila e Lauren, testavam minha memória.
Eis alguns exemplos: "Você pode me entregar este livro dentro de sete minutos?" ou "Quando você encontrar alguma questão sobre a rainha nas palavras cruzadas, você poderia me lembrar de ligar para a garagem?"
Meus resultados ficaram na média. Esqueci de lembrar à Kamila para ligar para a garagem.
Mas o que a equipe de Mark Moss descobriu com estes testes é notável. Os voluntários na sala com a infusão de alecrim conseguiram, estatísticamente, resultados melhores do que aqueles na sala de controle.
Os da sala com lavanda apresentaram uma queda significativa no desempenho. Lavanda é tradicionalmente associada com sono e sedação.
No sangue
De acordo com os pesquisadores, alguns compostos do óleo de alecrim podem ser responsáveis por mudanças no desempenho da memória. Um deles é chamado de 1,8 cineol. Além de ter um cheiro muito bom (para quem gosta deste tipo de cheiro) ele pode agir da mesma forma que os remédios permitidos para tratar demência, causando um aumento em um neurotransmissor chamado acetilcolina.
Esses compostos fazem isso ao evitar a quebra do neurotransmissor por uma enzima. E isso é muito plausível - inalação é uma das melhores formas de levar drogas para o cérebro.
Quando você consome um remédio via oral, ele pode ser quebrado durante a digestão. Mas a inalação de pequenas moléculas pode passar para a corrente sanguínea e, dali, para o cérebro sem ser quebrado no sistema digestivo.
Moss e sua equipe analisaram amostras de sangue dos voluntários e encontraram traços dos elementos químicos do óleo de alecrim.
As implicações com este tipo de pesquisa são enormes, mas não significa que você precisa passar seus dias cheirando alecrim e suas noites dormindo em um travesseiro de lavanda.
Os efeitos foram detectáveis mas reduzidos, dando uma pista de que é necessário fazer mais pesquisas sobre alguns compostos químicos encontrados em óleos essenciais, o que pode levar à criação de terapias ou aumentar nossa compreensão da memória e do funcionamento do cérebro.
Também é importante lembrar que qualquer remédio com efeito que pode ser medido, mesmo se inalado a partir de um óleo essencial, também pode ter um efeito colateral. Não se pode mexer com a bioquímica do cérebro e esperar resultados simples.
E poderia ser muito bom também se esses estudos também puderem, no futuro, contribuir para a criação de novos remédios para tratamento da demência. O que também restaura parte da credibilidade ao campo da medicina alternativa.
Nós passamos muitos anos criticando os tratamentos alternativos, mas acredito que exista um benefício real ao permitir que as pessoas assumam o controle da própria saúde com tratamentos que as façam sentir melhor, mesmo se não pudermos provar como.

sábado, 25 de abril de 2015

café e seus benefícios

 Benefícios do Café para Saúde

  • Café contém uma grande quantidade de antioxidantes e, assim, auxilia no fortalecimento da imunidade.
  • café contém cafeína, que ajuda contra dores de cabeça e enxaquecas. Ele também provoca o efeito de captação gastrointestinal em analgésicos.
  • Ela ajuda a melhorar o humor, aliviar o estresse e as funções cognitivas, tais como tempo de reação, memória verbal incidental e raciocínio visuospatial
  • A ocorrência de cálculos biliares na bexiga pode ser significativamente reduzido pela ingestão de cafeína.
  • A cafeína pode ajudar na prevenção de prisão de ventre e facilita os movimentos intestinais. Ela estimula o movimento dos músculos, ajudando, assim, na evacuação eficiente.
  • café contém tanino que pode ajudar a remover a formação da placa e ajuda a melhorar a saúde dental.

sábado, 18 de abril de 2015

O preparo da babosa variedade Barbadensis Miller

Sem título

Existem alguns métodos de preparo da planta divulgados na mídia que não garantem a estabilidade dos elementos que abalizam os benefícios da babosa. Por isso, deve-se ter muito cuidado com receitas domésticas, pois o preparo inadequado pode trazer riscos à saúde.
O preparo da babosa começa no plantio. A planta deve ser cultivada em local seco, longe de dejetos de animais e sem uso de qualquer pesticida. A adubação pode ser realizada com as próprias folhas da planta macerada. Prefira sempre lugares ensolarados. Esta planta não gosta de excesso de rega. O melhor é a rega natural, ou seja, a chuva. Evite lugares encharcados.
A colheita manual da folha é realizada com uma faca limpa bem na base da folha, onde o gel não ficará exposto. Este cuidado protege o gel, que é a parte que nos interessa, de oxidar quando exposta ao ar e perder todas as propriedades.
lavando a folhaÉ importante lavar bem a folha antes de trabalhar nela. Pode usar um detergente suave para remover as impurezas.
O gel interno da folha de cor transparente é a parte benéfica à saúde.Ele é extremamente amargo e tem marcante odor. Para obtê-lo, fatia-se a parte da folha a ser usada (geralmente uma fatia de 5 cm) e cobre-se o restante da folha imediatamente com filme de PVC, deixando a folha no refrigerador para ser utilizada o mais breve possível. A parte verde da folha é toxica e deve ser desprezada, podendo ser usada na adubação.
Da parte fatiada retira-se a casca completamente, utilizando uma faca perfeitamente limpa. O filé gelatinoso obtido é lavado intensamente em água e está pronto para ser usado. O uso de colher pode trazer resquícios da folha que são tóxicos. À medida que se fatia a folha, deve-se desprezar a parte mais pontuda, pois a concentração de elementos tóxicos da casca é maior.
O consumo pode ser direto, simplesmente engolindo o gel. Pode-se também misturar com suco natural como, por exemplo, laranja ou limão, batendo os pedaços no liquidificador. Sucos cítricos contêm ácido cítrico que é um estabilizante natural.Também pode ser batido com frutas da estação ou suco de uva sem adição de açúcar. Para adoçar use mel de excelente qualidade. Nunca use adoçantes ou açúcar, pois comprometem as propriedades do gel. Se adicionar água, prefira água mineral sem gás e sem cloro ou flúor. O gel pode ser utilizado até 3 vezes ao dia.
O gel também pode ser usado em problemas de pele, queimaduras e feridas como auxiliar de tratamento. No caso, pode-se fatiar a planta com casca e tirar as fatias de gel ou simplesmente após a limpeza da folha ordenhá-la para a saída do gel e aplicação rápida sobre o local afetado. Após ser bem lavada, fatiada e descascada pode-se aplicar o gel no local ou esfregar sobre a área afetada cuidadosamente. Se bater o gel no liquidificador, pode usar a mistura para beber ou aplicar nas áreas afetadas. Nunca adicione frutas ou seus sucos no gel para passar na pele e depois se expor ao sol, pois este procedimento pode causar sérios danos. Sucos de frutas cítricas na pele exposta ao sol causam bolhas e queimaduras.
O gel da babosa pode ser ainda usado como agente rejuvenescedor ou para hidratação e restauração do cabelo. A máscara consiste em aplicar o gel da planta no rosto após a limpeza com produtos adequados. Para usar no cabelo, aplique o gel nas mechas úmidas e limpas e deixe agir.


BABOSA-(Aloe vera)

Os principais benefícios da babosa

Propriedades da Aloe barbadensis Miller (Aloe vera): A babosa é um dos mais completos alimentos, contendo mais de 150 substâncias ativas. A planta adulta leva cerca de quatro anos para se formar e necessita de condições climáticas extremas para apresentar gel de excelente qualidade, como, por exemplo, regiões de pouca chuva. O gel é utilizado para o consumo, enquanto a parte espinhosa e externa das folhas é usada como adubo orgânico, sem adições de agrotóxicos para não comprometer a qualidade do gel.
Ação restauradora e rejuvenescedora sobre a pele: o gel da babosa é rico em substâncias raras e enzimas com alto poder de combater radicais livres que se acumulam em nosso corpo e em nossa pele. Eles causam envelhecimento e uma série de doenças. A capacidade do gel de babosa varrer estes radicais livres nocivos do nosso organismo desacelera o envelhecimento e recupera danos à pele causados por exposição solar. Ela é rica em prolina que compõe o nosso colágeno, devolvendo maciez e tonicidade à pele. As vitaminas presentes na babosa estimulam aumento da oxigenação e da eliminação das toxinas. A ingestão diária de gel de babosa e o uso de produtos cosméticos de babosa de forma regular revertem os efeitos nocivos à saúde causados pelo envelhecimento, poluição ou situações de enfermidades crônicas.
Ação antibiótica: os glicosídeos antraquinônicos da Aloe vera (aloína e ácido aloético) fornecem uma capacidade antibiótica natural extraordinária a esta planta. Acemannan, aloeemodina e bradicinase da aloe se combinam nos tecidos para exercer atividade germicida. Eles também favorecem uma resposta imune mais efetiva. A lignina, ácido cinâmico e ácido crisofânico agem em conjunto para também desempenhar ação bactericida.
Ação analgésica e anti-inflamatória: fornecida pela ação de antracenos e antraquinonas, além da enzima bradicinase. Esta enzima estimula a ação dos macrófagos, células de defesa orgânica, e bloqueia a ação da bradicinina responsável pela dor e edema de traumas e inflamações. Além disto, possui esteróides de plantas (fitoesteróides) denominados lupeol, betasitosterol e campesterol. Eles bloqueiam a ação das prostaglandinas tipo 2 nos tecidos combatendo as inflamações. Também age diminuindo a ação das cininas e interleucinas envolvidas na resposta inflamatória, bloqueando a fabricação de colesterol pelos linfócitos em situações de estresse. Os fitoesteróides, ao contrário dos esteróides sintéticos, não apresentam ação deletéria ao organismo quando ingeridos de forma adequada. A ação analgésica e anti-inflamatória da aloe também é dada pelos salicilatos naturais da planta.
Ação depurativa, laxativa, diurética e estimulante da secreção biliar: o ácido crisofânico oferece uma propriedade depurativa, principalmente com efeito danoso contra fungos e bactérias intestinais.
Ação antioxidante: A produção de radicais livres no organismo humano é contínua, devido ao estresse emocional constante da vida diária. Toda sorte de doença crônico-degenerativa, tabagismo, alcoolismo e uso crônico de drogas lícitas (álcool e fumo) e ilícitas, também produzem estes radicais livres tão nocivos. Por outro lado, determinados tratamentos para doenças crônicas podem aumentar a produção destes radicais prejudiciais à saúde. O mesmo acontece após exercícios físicos, quando geramos muitos radicais livres, principalmente se forem muito extenuantes.  A presença de cobre, magnésio e todas as vitaminas conhecidas no gel de Aloe vera bloqueia a produção, os efeitos e a circulação destes radicais no nosso organismo. A vitamina B12, por exemplo, responsável pelo nosso bom desempenho intelectual e restauração de funções nervosas, está bem presente no gel da babosa. Ácido fólico e outras vitaminas do complexo B também estão presentes nesta fantástica planta. Ainda contém vitamina E e cisteína, excelentes combatentes dos radicais livres que afetam nossa saúde. Esta ação antioxidante é uma das principais responsáveis pela prevenção de aparecimento de tumores e manutenção da atividade do sistema imunológico, com proteção do nosso material genético (DNA) e induzindo a morte em células (apoptose) alteradas que se formam em nosso organismo.
Ação antisséptica: As saponinas, o ácido cinâmico e salicilatos conferem à Aloe vera uma ação antisséptica.
Ação antiviral: Acemannan tem efeito antiviral, regulando as defesas imunológicas do organismo, através do aumento de células denominadas macrófagos e linfócitos T.
Ação cicatrizante: Auxiliada pela ação anti-inflamatória do gel, a babosa ainda possui um efeito regenerador sobre os tecidos. Este efeito é dado pelo glucomannan que auxilia no reparo dos tecidos e células expostos a danos físicos, químicos e ambientais. Estimula a fabricação de células reparadoras da ferida e produz colágeno para reparar as lesões. A giberelina, ácido indolacético e auxina da babosa são fitohormônios que estimulam a reprodução celular.
Ação sobre o aparelho digestivo: Erros alimentares sucessivos levam a danos digestivos que afetam a função intestinal. Atualmente, o intestino delgado é considerado o maior órgão de defesa do nosso organismo. O acúmulo de substâncias nocivas aderidas à parede do intestino impede que suas funções como órgão digestório e de defesa orgânica sejam desempenhadas adequadamente. A digestão é feita de modo inadequado e a mucosa intestinal é danificada de uma maneira tal que ela deixa passar substâncias tóxicas, ou proteínas que deveriam estar digeridas, além de favorecer a migração de microrganismos prejudiciais à saúde pela parede intestinal. Estes elementos acabam por cair na circulação sanguínea. O sistema imunológico nesta situação fica extremamente ativo, tentando anular os efeitos nocivos causados pelo dano da parede intestinal. As consequências são alergias, hipoglicemia, distúrbio digestivo, produção excessiva de muco, flatulência (gases), depressão, fadiga e edemas. Glucomannan, acemannan e antraquinonas da babosa revertem este efeito, neutralizando o efeito de enzimas tóxicas aos tecidos, melhorando a função das células beta pancreáticas, o metabolismo e a digestibilidade.
Ação digestiva: A babosa tem várias enzimas que facilitam a digestão. Além disto, há diversas substâncias na babosa que são altamente nutritivas. Mais de dez minerais podem ser mencionados que desempenham vários papéis no metabolismo celular, exibindo propriedades que vão desde a melhora da constituição óssea e de cartilagens (devido ao cálcio), função cardíaca e celular (devido ao magnésio), intervenção do cromo no metabolismo e o poder antioxidante do cobre. Apresenta vitaminas A, C, E e do complexo B. Também apresenta vários mono e polissacarídeos, além de várias enzimas e proteínas.
Ação dental: gel dental de babosa forma uma camada protetora do esmalte, mucosa oral e é cicatrizante. 
Ação de combate ao acúmulo de gorduras e de favorecimento ao ganho de massa muscular e óssea: A lipase da babosa está envolvida na digestão das gorduras. A lipase melhora as funções do fígado e vesícula biliar. A Aloe vera diminui a resposta inflamatória da obesidade e diminui a resistência à insulina. O aminoácido metionina reduz a gordura do fígado (esteatose ou infiltração gordurosa hepática) e da rede cardiocirculatória. Magnésio, cálcio e fósforo são importantes para a manutenção óssea. A creatinafosfocinase fornece suplemento energético muscular, mantendo a função e tônus muscular.

O Consumo Regular de Babosa Pode Evitar Ganho de Peso

obeso e dietaA pessoa obesa vive em um estado inflamatório crônico que acaba por influenciar todo o metabolismo. A grande massa de gordura localizada acaba por fabricar elementos de resposta inflamatória que prejudicam o funcionamento do organismo. Daí, o surgimento de doenças como diabetes,câncer e outras.
Erros alimentares são a principal causa do aumento de células de gordura, tanto em número quanto em tamanho. Os mecanismos de inibição da formação de células de gordura têm sido estudados. O controle do estado inflamatório do obeso tem sido um desafio para os cientistas.
Aloe vera (babosa) adicionada à dieta parece diminuir a formação de células de gordura. Isto foi observado em um estudo científico, onde a babosa ativou uma via do metabolismo que suprime a resposta inflamatória da obesidade em ratos obesos.  Desta forma as enzimas fabricadas em músculos que dariam início à formação de células de gordura e citocinas que iniciam a resposta inflamatória são bloqueadas. Consequentemente a inflamação que acompanha a formação excessiva de células de gordura e a própria formação destas células gordurosas foram inibidas pela ingestão de Aloe vera (Para ver o artigo clique aqui).
Esta observação científica permite afirmar que a babosa pode ser utilizada na dieta do obeso como auxiliar de controle de peso, além de medidas dietéticas e rotinas de atividade física. Além de diminuir a resposta inflamatória da síndrome metabólica do obeso, ela também impede a formação de células de gordura, desde que as outras medidas sejam adotadas.
Aumente seus conhecimentos e leia também:

Café reduz o risco de câncer no fígado, revela estudo

Um estudo realizado por cientistas do instituto britânico World Cancer Research Fund International (WCRF) revelou que os homens que consomem pelo menos uma xícara de café por dia são menos propensos a desenvolver câncer no fígado. Os dados mostraram que em 21% dos casos a doença não foi desenvolvida, em comparação com os homens que não tomam a bebida diariamente.

Segundo os pesquisadores, nas mulheres o hábito de beber café não foi fortemente associado com uma diminuição do risco de câncer. Mas os cientistas afirmam que existe uma forte evidência que liga o consumo de café com um menor risco de tumor de fígado.

café
Uma xícara de café por dia ajuda na prevenção do câncer no fígado. Foto: Shutterstock

Dados mundiais sobre o câncer no fígado


A pesquisa é parte de um “Projeto de atualização contínua”, desenvolvido pelo WCRF. Os dados publicados neste mês fazem parte de uma atualização de um estudo anterior que saiu em junho de 2014. De acordo com o último relatório, divulgado em 2012, o câncer de fígado é a segunda forma mais comum de câncer e é responsável pela morte de cerca de 746 mil pessoas em todo o mundo. Os números mostram que os casos de câncer de fígado estão aumentando.

As últimas estatísticas revelam que cerca de 626.162 pacientes foram diagnosticados com uma forma de câncer no fígado, mas este número aumentou em 2012 e chegou a 782.451. Especialistas acreditam que até 2035 o número de pessoas com câncer de fígado irá aumentar em 70%, quando haverá mais de 1.341.344 casos de câncer de fígado no mundo.

Os pesquisadores basearam o recente relatório sobre 34 estudos que envolveram mais de 8 milhões de pessoas e cerca de 24.600 pacientes diagnosticados com câncer de fígado. Os cientistas constataram que certos compostos encontrados no café podem fortalecer o sistema imunológico .

Isto acontece devido ao fato dos compostos contidos no café induzirem o sistema de defesa endógeno. Os pesquisadores também descobriram que as substâncias contidas no café têm a capacidade de reaparar o DNA e também podem exercer um efeito quimiopreventivo. O novo estudo mostra que o café pode ajudar a reduzir os danos no DNA das células do sangue.

figado
Fique atento aos sintomas e procure um especialista. Foto: Shutterstock.

Sintomas


É importante verificar as alterações da hipercalcemia (aumento do cálcio no sangue),hipoglicemia (diminuição do açúcar no sangue), ginecomastia (aumento da mama em homens), eritrocitose (aumento dos glóbulos vermelhos do sangue) e os altos níveis de colesterol. Além desses aspectos, você deve observar os seguintes sintomas:

– dor abdominal
– massa abdominal
– perda de peso inexplicada
– perda de apetite
– mal-estar
– icterícia (tonalidade amarelada na pele e nos olhos)
– ascite (acúmulo de líquido no abdômen).

Diagnóstico


De acordo com informações do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o que chama muita atenção no diagnóstico do câncer no fígado é o pequeno tempo de evolução. Segundo especilistas, o paciente apresenta uma doença geralmente muito avançada ao diagnóstico com um tempo de evolução dos sintomas muito curto. O tempo que o tumor leva para duplicar o volume de “massa tumoral” é muito curto em comparação com outros tipos de cânceres.

Cláudia Giúza Mercier